Manhêêê, quer ajuda aí no computador?

Toddler girl in child occupational therapy session doing playful exercises on a digital tablet with her therapist.

A Educação Infantil é um cenário maravilhoso de apropriação de conhecimento, de vivências, muitas brincadeiras, histórias e trabalhos manuais. No entanto, hoje tudo isso divide espaço com um universo interativo repleto de possibilidades. Foi-se o tempo em que a educação na primeira infância se restringia apenas a estas habilidades…

Na verdade, tanto o “material” quanto o “virtual” têm seu espaço no desenvolvimento dos pequenos, mas a utilização de ferramentas digitais vem ganhando um protagonismo cada vez maior nos primeiros anos de formação.

Conectados ao universo digital muito antes de aprenderem a ler e a escrever, as crianças são, por natureza, curiosas e abertas ao uso criativo da tecnologia de ensino. A questão é saber como tirar o melhor proveito destes recursos, fomentando o raciocínio, a expressão individual e a imaginação nesta fase mágica da vida escolar. 

Tendo o professor como facilitador das abordagens pedagógicas, as possibilidades são inúmeras. Vamos conhecer algumas delas?

Ferramentas digitais

São centenas de sites, softwares e aplicativos a serem explorados em benefício da coordenação motora, do raciocínio lógico, do espírito colaborativo e da empatia das crianças entre si e delas com os professores e monitores.

Em termos de hardware, a ideia é buscar a familiarização da criança não só com o computador ou o tablet, mas também com periféricos como teclado, mouse, monitor, câmeras, impressoras, etc.

Leituras online

O ambiente virtual pode e deve ser um facilitador do hábito da leitura, estimulando o acesso das crianças a livros e histórias as mais diversas. 

Criação de blogs

Publicar as atividades desenvolvidas em sala de aula, divulgando as pesquisas e descobertas da turminha: nada melhor que um blog para registrar o dia a dia no colégio, tornando mais amigável a relação da criança com a tecnologia. 

Gamificação

A busca do conhecimento, a dinâmica da aprendizagem e o estímulo à criatividade encontram nos games importantes aliados. Os objetivos e desafios, inerentes aos jogos eletrônicos, tornam mais atraente o conteúdo a ser transmitido.

Fotografia

Tarefas relacionadas à fotografia são propulsoras da reflexão através das imagens, contribuindo para o desenvolvimento crítico e para a autonomia.

Atividades Low Tech (baixa tecnologia)

Os curtas de animação são bons exemplos de atividades que podem ser feitas com recursos tecnológicos bem básicos: basta um celular na mão e um pouco de massinha de modelar. Personagens, roteiro e cenários são concebidos e produzidos pelas próprias crianças.

Estas são apenas algumas ideias, dentre as infinitas possibilidades que a tecnologia pode trazer à Educação Infantil. Colocá-las em prática é um compromisso que a nossa escola assume com as novas gerações!

Fique à vontade pra compartilhar este post com seus amigos, e não deixe de se cadastrar pra receber notícias nossas. É só clicar aqui!

Fonte para elaboração do conteúdo:
Nova escola

Compartilhar
2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.