YouTubers são os novos formadores de opinião. E agora?

Hoje em dia, com o advento da tecnologia, tem sido cada vez mais fácil dar a sua opinião sobre tudo, a hora que quiser e para quem quiser. A vida particular e questões diversas — tanto do dia a dia quanto problemas sérios — são desconstruídas por diversos ícones na internet.

Os YouTubers fazem parte desse grupo de pessoas que usam sua imagem para falar algo. Vídeos sobre jogos, problemas da adolescência, moda ou música: os temas são vários e os pontos de vista também. Por isso, os chamados “vlogueiros” são os novos formadores de opinião.

Mas quem são esses famosos que vêm influenciando ideias, principalmente de crianças e adolescentes? E como lidar com a intervenção dos YouTubers nos pensamentos e nos gostos dos jovens? Continue a leitura deste post e descubra como lidar com essa situação!

Não se precipite

Pode parecer que muitos dos YouTubers falem bobagem, mas não é bem assim. Quem trabalha nesse ramo — e é realmente um emprego — tem consciência de que sua fala vai influenciar o público.

Por isso, por trás das piadas e de tudo que é mencionado, existem muitas pesquisas, planejamentos e estudos. Claro que tem uns que são “cabeça de vento”, mas os que levam realmente a sério são responsáveis com o que informam.

Muitos deles se revelam na rede por terem passado por problemas e querer compartilhá-los — para que outros não passem por essas situações. Outros pretendem apresentar coisas novas e diferentes maneiras de olhar.

Há também os que querem apenas oferecer um momento agradável para o dia de alguém. Por isso, não julgue à primeira vista para conseguir avaliar qual conteúdo realmente é nocivo.

Tente conhecer mais os YouTubers

Veja você mesmo e avalie se o que o seu filho assiste pode ser algo de má influência ou não. Não veja apenas um vídeo: procure saber mais e observe diversas publicações para que você não fique com a impressão errada e ou tenha preconceitos. E mesmo que você não goste, reflita de verdade: será que só por que você não gostou essa é uma influência ruim para o seu filho?

Muitas vezes pais e filhos não possuem os mesmos gostos. Então, se não fizer nenhum tipo de mal ao seu filho e o conteúdo não exercer nenhuma interferência negativa no crescimento intelectual e emocional, que mal há?

Mantenha um bom diálogo com seu filho

Para saber realmente como os vídeos influenciam o seu filho, nada melhor do que conversar com ele sobre o assunto. O que ele realmente pensa sobre esses YouTubers? Por que ele assiste aos vídeos?

Entenda que, em algum momento, o jovem entrará nas redes sociais e essa será uma área difícil de monitorar. Muitos encontram, no discurso do YouTuber,  respostas para as suas ansiedades. Isso pode acontecer em função de um distanciamento dos pais ou ainda de uma vergonha em pedir ajuda.

Como muitos YouTubers passaram pelas mesmas dificuldades e contam isso nos vídeos, seu filho pode se identificar e, inclusive, achar ajuda ou se sentir mais estimulado e buscar auxílio.

Mesmo que seja difícil — principalmente se você for lidar com adolescentes —, faça um esforço para ter um diálogo sincero e livre de brigas caso você não goste do que seu filho vê. Assim, a real influência se mostrará, seja ela boa ou ruim.

Os YouTubers vêm se tornando realmente importantes formadores de opinião para diversos jovens, mas isso não é motivo para que você arranque seus cabelos de preocupação. Seja paciente e tente resolver na base da conversa.

Gostou das nossas dicas? Então compartilhe este post nas redes sociais e ajude outros pais a entender um pouco mais sobre o forte impacto dos YouTubers como formadores de opinião!

Compartilhar
1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.