Infância sem risco: saiba como proteger crianças na internet

Para garantir uma infância sem riscos e proteger as crianças na internet, os pais, professores e demais responsáveis precisam adotar uma série de cuidados. Com isso, é possível evitar os riscos aos quais as crianças estão expostas nesse ambiente e maximizar seus benefícios.

Mas quais são esses riscos e como proteger as crianças? Conheça neste post:

Os benefícios da tecnologia

O uso sensato das tecnologias garante muitos benefícios para crianças e adolescentes, como:

  • aprimoramento da habilidade da comunicação;
  • desenvolvimento da criatividade;
  • desenvolvimento da capacidade imaginativa e de abstração;
  • aprendizagem de forma mais lúdica.

Por outro lado, quando utilizada incorretamente (de maneira exagerada, divulgando informações pessoais, ao facilitando ou promovendo o cyberbullying, entre outros), a internet pode garantir riscos à saúde física, emocional, acadêmica e social da criança.

Os riscos que uma criança corre na internet

A superexposição de crianças às ferramentas tecnológicas (como smartphones, tablets, notebooks e à internet) está relacionada a diversos problemas que, a longo prazo, atrapalharão o desenvolvimento infantil.

Alguns destes problemas são:

  • déficit de atenção;
  • dificuldades de aprendizagem;
  • dificuldades de socialização;
  • agressividade e impulsividade;
  • dificuldades de lidar com a frustração;
  • obesidade e outros distúrbios da alimentação;
  • distúrbios do sono;
  • risco de dependência tecnológica;
  • aumento da ansiedade;
  • estímulo precoce às drogas;
  • estímulo à sexualização precoce;
  • probabilidade de vivenciar o cyberbullying (violência praticada por meio da internet, seja por intimidação, discriminação ou agressão, tanto física ou como sexual).

Estes riscos prejudicam não somente a criança, mas também toda a família. Por isso, é muito importante que pais, professores e responsáveis busquem garantir a utilização segura da internet.

Os cuidados para evitar os malefícios da internet

Controlar os horários de acesso

Segundo a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria, os recursos tecnológicos devem ser apresentados às crianças com idades superiores a 2 anos e, ainda assim, por tempo restrito.

A recomendação é de que crianças até 5 anos não utilizem esses recursos por mais de 1 hora. Para crianças entre 6 e 12 anos, o período máximo é de 2 horas por dia e, após os 13 anos, há o limite de 3 horas diárias de utilização.

Observar indicativos de dependência tecnológica

É necessário observar a presença de sintomas indicativos de dependência tecnológica e encaminhar as crianças aos profissionais adequados, como psicólogos. Dentre esses sintomas, estão, entre outros:

  • excesso de preocupação com a internet;
  • desejo de aumentar as horas conectadas para ter a mesma satisfação;
  • irritabilidade ou depressão;
  • presença de labilidade emocional ao restringir o uso da internet;
  • permanência por mais tempo conectado do que o planejado;
  • prejuízos nas relações sociais e familiares em função do uso excessivo;
  • mentiras frequentes sobre as horas em que passou conectado;
  • esforços repetidos para reduzir o tempo de uso da internet.

Acompanhar as postagens dos filhos

É importante dialogar sobre os riscos da internet e motivar o uso correto das mídias sociais, conversando sobre os perigos da divulgação de fotos, informações pessoais e da utilização de chats para conversar com pessoas desconhecidas.

Observar possíveis casos de cyberbullying

Avaliar os amigos nas redes sociais para verificar a presença de pessoas estranhas e acompanhar as redes sociais da criança para verificar possíveis ameaças pode ajudar a identificar focos de cyberbullying e evitá-los.

Avaliar os sites que estão sendo visitados

Você pode acompanhar os sites que estão sendo visitados ou instalar ferramentas de monitoramento que bloqueiam conteúdos nocivos.

Servir como exemplo

Ser o exemplo é um passo crucial para motivar a utilização consciente da internet por crianças.

Estimular atividades diferentes

Investir em outros tipos de entretenimento e atividades familiares (esportes, atividades culturas, brincadeiras e conversas em família) é uma maneira de manter a interação com a criança e impedir o uso exagerado da internet.

Crianças na internet podem usufruir de muitos benefícios, mas o uso incorreto da ferramenta pode ser prejudicial à sua saúde física, emocional, acadêmica e social e atrapalhar o bem-estar de toda a família. Fique de olho nas nossas dicas e garanta um desenvolvimento muito mais saudável para sua criança!

Gostou das nossas dicas? Não se esqueça de nos seguir nas redes sociais!

Compartilhar
1

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *