7 maneiras como os jogos eletrônicos podem ajudar seu filho na vida escolar

Little boy playing pc game at home

Quando foram criados, os jogos eletrônicos tinham como único objetivo entreter e divertir pessoas de todas as idades. Até então, unir diversão e aprendizado nunca foi o propósito dos games, porém, assim como na maioria dos segmentos, as novas tecnologias estão ajudando a transformar essa relação.

Um dos maiores exemplos dessas mudanças está na educação de crianças e adolescentes dentro das salas de aula. Você já imaginou como seria a escola do futuro? Sabe as vantagens de utilizar a tecnologia em prol da educação? Ou já pensou em ensinar seu filho com a ajuda de jogos eletrônicos? Não? Então confira este post para saber de quais maneiras jogar videogame pode ajudar as crianças no convívio e na vida escolar de uma maneira geral.

Atividade altamente social

De acordo com diversas pesquisas e estudos, os jogos eletrônicos de computador e videogame, até os mais violentos, podem ajudar qualquer criança a desenvolver habilidades emocionais e intelectuais essenciais para o desempenho acadêmico. Cerca de 70% dos jogadores divertem-se ou praticam em salas com outros usuários, a grande maioria amigos, enquanto somente 20% o fazem sozinhos. Isso faz do jogo uma atividade altamente social, em que os gamers precisam da ajuda uns dos outros para superar objetivos, avançar e vencer. Para isso, habilidades como trabalho em equipe e comunicação interpessoal, por exemplo, são fundamentais.

Tais comportamentos são imprescindíveis para um desenvolvimento social saudável, uma vez que essas atitudes elevam a autoestima, melhoram o relacionamento com os demais colegas e os fazem alcançar com maior facilidade os objetivos propostos pela escola.

Aprendizagem individualizada

Todo educador sabe que cada aluno aprende de uma forma e em um ritmo diferente. Porém, é praticamente impossível individualizar o ensino dentro de uma sala de aula repleta de crianças. Mas os jogos eletrônicos estão aí para mudar essa concepção.

A relação do binômio diversão-ensino está sendo aprimorada para fazer com que cada criança aprenda à sua maneira, com base em suas preferências e no seu desempenho. Assim, conforme vão superando os desafios programados, os níveis de exigência e dificuldade aumentam. Caso contrário, o mesmo conceito é apresentado de maneira diferente para melhor compreensão e aprendizado.

Pensamento crítico e compreensão de leitura

Os jogos eletrônicos de realidade alternativa, em que os pequenos precisam tomar decisões  na pele de um personagem, fazem com que eles aprimorem seu raciocínio crítico e desenvolvam resoluções criativas para lidar com os obstáculos apresentados durante o caminho. Jogos lúdicos são outras excelentes ferramentas para inserir as crianças em ambientes, lugares ou culturas que estão sendo lecionadas em sala de aula para, como consequência, aumentar a retenção de informações e o aprendizado em longo prazo.

Novas habilidades

Diferentes tipos de jogos eletrônicos — ação, esportes, RPG, educativos, etc. — também ajudam a desenvolver habilidades novas em qualquer criança, pois exigem talentos especiais e técnicas específicas como raciocínio lógico, pensamento espacial, decisões rápidas, comunicação, percepção, memória, coordenação motora, entre outros talentos, para a obtenção do sucesso.

Desenvolvimento cognitivo

De acordo com uma pesquisa feita com professores norte-americanos, 78% deles afirmaram que os jogos digitais colaboram para um melhor domínio de conteúdo curricular e para o desenvolvimento de novas competências acadêmicas, como matemática, lógica, artes da linguagem e comunicação, por exemplo. Os games também ajudam a melhorar habilidades extracurriculares, como tecnologia, trabalho em equipe e relações interpessoais.

Ainda de acordo com esse estudo, os jogos eletrônicos são mais eficazes para avaliar o desempenho dos alunos do que provas, testes e questionários, uma vez que através deles é possível medir, em tempo real, o progresso e o desenvolvimento individual de cada criança, e obter feedbacks imediatos com estatísticas detalhadas da aprendizagem individualizada. Sem contar o fator motivacional, que favorece alunos com baixo desempenho escolar para comparecer às aulas, prestar mais atenção e se esforçar mais.

Compromisso ético

Através dos jogos eletrônicos é possível introduzir crianças e adolescentes em ambientes e situações complexas do cotidiano para explorar problemas éticos e morais, porém, livres da pressão social e do medo de consequências.

Dessa forma, os jovens criam ou afloram comportamentos como empatia, compaixão, coragem e ética, que, quando expostos em situações semelhantes no mundo real, conseguem lidar com mais facilidade e fazer melhores escolhas.

Bom para saúde física e mental

Quem se diverte mais vive menos estressado, certo? De acordo com os pesquisadores, osjogos eletrônicos contribuem bastante para saúde física e mental de pessoas de todas as idades, sobretudo daqueles com distúrbios neurológicos e emocionais, pois ajudam a descansar e distrair a mente, reduzindo os riscos de problemas cardíacos e de acidentes vasculares cerebrais, além de melhorar a memória e combater os sintomas da depressão, como ansiedade e impulsos excessivos.

Os jogos eletrônicos são peças fundamentais para o futuro do processo educativo e para o desenvolvimento de jovens mais engajados, socialmente ativos e com novas habilidades técnicas, que seus pais jamais imaginaram potencializar.

E você, já aprendeu ou ensinou algo novo a partir de um game? Acredita que os jogos eletrônicos podem ajudar seus filhos na escola? Deixe seu comentário!

Compartilhar
0

2 comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.