[Parte 1] Autoestima da criança: veja como incentivá-la

Ao nascer, o bebê acredita ser extensão da mãe. É por isso que nessa fase o colo e o carinho são extremamente importantes. Por volta de um ano, eles começam a desenvolver uma noção e uma distinção entre o “eu” e o “outro” e, a partir daí, é preciso saber como incentivar a autoestima da criança.

Uma criança com autoestima elevada se transforma em um adulto seguro, independente, tolerante às adversidades e até mesmo mais saudável. Pensar nisso ajuda a proporcionar um dia a dia mais agradável e garantir um bom desenvolvimento, tanto na esfera pessoal como na escolar e profissional.

Como notar que a criança precisa melhorar sua autoestima e o que fazer para que isso aconteça? Acompanhe a leitura deste post até o fim e descubra!

Dedique um tempo exclusivo para as crianças

Um dos passos mais efetivos na construção da autoestima das crianças é criar uma relação baseada em afeto e segurança. A criança precisa saber, desde muito cedo, que os pais estão sempre disponíveis para ela — mesmo quando ela vier a fazer algo errado.

Algumas crianças precisam de mais atenção que outras e é importante respeitar isso. Quando seu filho propuser alguma atividade, deixe o celular de lado e dedique-se integralmente a esse momento. Esteja presente e tenha em mente que amor, carinho e afeto não podem ser jamais uma moeda de troca.

Atribua pequenas responsabilidades

A autoestima está bastante relacionada com responsabilidades. Isso porque quanto mais a criança se sentir capaz de realizar diferentes tarefas — mesmo as menores — mais ela desenvolve a confiança em si mesma.

Você pode envolver os pequenos em atividades domésticas simples, incentivar a autonomia com relação às tarefas da escola e assim por diante.

Encoraje a experimentação de coisas novas

Crianças frustradas tendem a ter dificuldades com autoestima. Isso não significa, de forma alguma, deixar de dizer “não” aos pequenos. Porém, é preciso encontrar uma boa dosagem entre saber dizer não e se transformar em uma máquina desencorajadora.

Procure o diálogo, ensine e pratique a concessão. Quando os dois lados cedem um pouco, todos ficam felizes — e a autoestima da criança agradece quando ela se sente ouvida e acolhida.  

Seja um bom exemplo

Vai ser difícil desenvolver a autoestima de uma criança se a sua não estiver em dia. Como tem sido encarar o espelho? Como tudo na vida, as crianças reproduzem o que enxergam dentro de casa.

Se você não está feliz com o seu corpo ou não reconhece seu valor — seja ele pessoal ou profissional — existem grandes chances de isso refletir negativamente em seu pequeno.

Não faça comparações

Essa dica é especialmente importante para quem tem mais de um filho. As preferências, habilidades e interesses variam até mesmo entre crianças criadas sob o mesmo teto e é preciso aprender a respeitar essas diferenças.

Evite rotular as crianças: o filho mais velho é o organizado e o mais novo é sempre bagunceiro. Isso cria estigmas e pode tanto diminuir a autoestima como criar pressões desnecessárias.

Por mais difícil que pareça e que você ainda não tenha certeza de que sabe como incentivar a autoestima da criança, essa tarefa não é tão difícil quanto parece. O bom exemplo e o afeto são dois ingredientes fundamentais e acreditamos que você tenha de sobra por aí. Enfatize sempre o quanto você o admira e crie relações baseadas no diálogo. 

Gostou do post? Aproveite e assine a nossa newsletter para receber outros conteúdos como este diretamente na sua caixa de entrada.

Compartilhar
0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.