Atividades extracurriculares para crianças:Cuidados básicos na hora de decidir.

A vida no mundo cotidiano é caracterizada por uma agenda atribulada, dia a dia cheio de compromissos e uma pitada de estresse. Além disso, raramente há tempo para o descanso e o lazer. Como os pais já se acostumaram a esse estilo de vida, alguns acham normal matricular seus pequenos em diversas atividades extracurriculares para crianças.

Ter atividades fora da escola é muito importante para o desenvolvimento, visto que nelas a criança exercitará os grupos musculares, desenvolverá habilidades, disciplina e socializará com outras crianças, além de preencher o tempo ocioso em casa.

No entanto, exageros podem ser prejudiciais para a saúde. Saiba, neste post, a importância de não sobrecarregar os seus filhos com excesso de atividades e como planejar uma rotina adequada para eles. Confira!

Tenha cuidado com o excesso

Praticar atividades é extremamente benéfico em todas as idades, mas, principalmente na infância, elas são positivas para o desenvolvimento do sistema ósseo e muscular e para prevenir a obesidade na vida adulta. Elas também são eficazes para queimar a dose extra de energia que os pequenos possuem, o que evita comportamentos agressivos e estresse.

No entanto, a sobrecarga de atividades físicas pode trazer alguns sintomas, como dor de cabeça, dor de estômago, dificuldade para dormir e irritação. Além disso, o cansaço pode atrapalhar as crianças na escola ao gerar falta de concentração e desinteresse.

Como as crianças estão em fase de crescimento, também é importante escolher esportes que não tenham alta performance e treinos intensos, visto que estes podem atrapalhar o desenvolvimento ou gerar vulnerabilidade a lesões físicas.

Não pressione o seu filho

As atividades extracurriculares para os pequenos devem sempre ter caráter lúdico, ou seja, devem sempre visar o divertimento acima de qualquer outro objetivo.

Dessa forma, é importante que os pais não pressionem seus filhos com o objetivo de vencer ou ser a pessoa de melhor desempenho da turma. A ideia é favorecer uma competitividade saudável, sem exigir resultados, visto que esse comportamento pode levar à frustração e tristeza da criança.

Estabeleça uma rotina adequada

Ter uma rotina adequada para a idade é fundamental para aproveitar os benefícios que as atividades fora da escola oferecem. Desse modo, para acertar, é preciso ter equilíbrio.

Isso porque, apesar de as atividades serem um momento de lazer durante o dia e estimularem o desenvolvimento global, é preciso que as crianças tenham tempo para ser apenas crianças. Ou seja, elas devem ter tempo para descansar, brincar livremente em casa e fazer novas descobertas.

O ritmo inadequado pode ser evitado ao estipular cerca de 2 a 3 horas de atividades diárias. Além disso, pode-se estimular o estudo de outro idioma ou de atividades que não sejam físicas, como uma oficina de leitura ou pintura. Dessa forma, a criança pode aprimorar mais o lado intelectual e ocupar o seu tempo da mesma forma.

Fique de olho no comportamento e nas atividades

Por fim, é essencial ficar de olho no comportamento que sua criança apresenta durante a semana. Após a atividade, é normal que o pequeno se sinta cansado, porém, se sentir cansado o tempo todo pode ser um sinal de alerta. Perguntar como ele está indo na atividade e se está gostando também é uma boa ideia. Afinal, existem diversos esportes e a criança pode (e deve) conhecer e praticar vários deles ao longo da vida.

Além disso, verifique se as atividades feitas são supervisionadas por um professor atencioso e capacitado. Isso é importante para evitar lesões e machucados durante o período extracurricular.

E então, entendeu como coordenar as atividades extracurriculares para crianças? Deixe sua dúvida ou experiência no espaço para comentários abaixo!

Compartilhar
0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.