Aprenda como criar um filho solidário

Jovens mais humanos, capazes de sentir empatia pelo sofrimento dos menos favorecidos e aptos a atuarem na sociedade de forma justa e efetiva. Formar uma geração com essas características sem dúvida tornaria o mundo um lugar melhor. Mas, em uma cultura cada vez mais individualista, como criar um filho solidário?

Atitudes simples podem fazer toda a diferença. Que tal tentar? 

1. Estimule a empatia

Crianças pequenas já demonstram empatia. O machucado do irmãozinho, a doença do animalzinho de estimação ou o estado emocional dos pais são motivo de preocupação para os pequenos.

Essa empatia — colocar-se no lugar do outro e sentir a sua dor — deve ser estimulada. Então, se a criança espontaneamente se simpatizar com alguém que esteja sofrendo e quiser ajudar, permita essa ajuda.

Além disso, valorize esses pequenos gestos. Um abraço em um momento de tristeza pode fazer uma grande diferença. Reconheça a importância dele e diga isso à criança.

2. Mostre que existem situações de sofrimento

Infelizmente, a vida também apresenta momentos tristes. Seja devido a uma grande tragédia ou por uma perda pessoal, todos nós passamos por sofrimento.

Porém, muitas vezes, nós poupamos as crianças dessas situações, e elas perdem a oportunidade de amadurecer.

Obviamente, a exposição a esses problemas deve ser gradual e começar com questões mais simples. Leve a criança para visitar um doente, por exemplo. Assim, ela vai conhecer o estado de sofrimento dos outros e ainda perceber que pode fazer algo de bom.

Outras questões que envolvem sofrimento e que devem ser participadas e esclarecidas às crianças são a necessidade de economizar por perda de renda ou emprego, problemas de saúde na família, falecimento de familiares e mobilizações coletivas em caso de grandes tragédias.

3. Incentive o apoio às pessoas próximas

A maioria de nós costuma ser solidário em situações que nem nos damos conta. Precisamos conversar com nossos filhos sobre isso.

Precisou cuidar da filha de uma amiga que foi ao médico? Explique a situação ao seu filho. Não se trata de autopromoção, mas de mostrar que é possível apoiar as pessoas. Assim, ele entende que não foi só uma visita, mas uma necessidade atendida.

Faça o mesmo quando ele apresentar alguma situação em relação aos colegas.

Preparar o lanche para ele levar para um coleguinha cuja mãe está no hospital para ter um bebê, por exemplo, pode ser uma maneira de mostrar cuidado. Ajudar uma criança com um pouco mais de dificuldade também pode estimular a solidariedade e a responsabilidade

Ah, auxiliar nas tarefas domésticas também é apoiar os familiares, viu? 

4. Mobilize-se com a família para prestar ajuda

Com uma certa frequência, ocorrem tragédias em que as pessoas perdem muitos de seus bens pessoais. Enchentes, incêndios e outros desastres naturais podem ocasionar grandes transtornos.

Nessas ocasiões, mobilize a família para ajudar as vítimas. Em vez de simplesmente pegar as roupas que serão doadas, ensine as crianças a separarem roupas em bom estado e alimentos para doação.

Explique a elas o que aconteceu, por que é importante ajudar e como essas pessoas podem recuperar sua condição de vida e dignidade se cada um contribuir com um pouquinho. Seu exemplo será valioso para desenvolver essa importante virtude.

5. Lute por causas justas

Tanto nas mínimas arbitrariedades da vida quanto nas maiores, posicione-se a favor da justiça. Isso vale para pequenas agressões, como a criança que morde outra no playground do prédio ou para questões mais amplas, como a política.

A época de eleições também é uma ótima ocasião para mostrar preocupação com temas sociais.

Mostre aos seus filhos que, ao escolher um candidato que se propõe a melhorar serviços como escolas, hospitais e transporte públicos, pessoas que dependem desses serviços e que possuem esse direito são beneficiadas, mesmo que não seja o seu caso.

Atitudes simples podem fazer toda a diferença e podem nos mostrar como criar um filho solidário. Então, por que não tentar? Afinal, todos nós queremos ver uma sociedade mais justa e solidária, não é mesmo?

Gostou do nosso post? Se você está sempre ligado em temas ligados à educação da criança, vai gostar de saber como estimular a alfabetização de seu filho. Corra lá no blog e confira!

Compartilhar
0

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.